Tlm. 931 612 825 | Tel. 253 962 739

Bem-vindo à Clínica Veterinária Animal Especial.

A história do Kiko

Hoje venho aqui partilhar convosco a história do Kiko. Um caso que me fascinou, uma vez que nos permitiu claramente ver que a acupuntura pode ajudar imenso os nossos animais de companhia.

O Kiko veio até à nossa clínica à procura do serviço de acupuntura veterinária. Estava a ser acompanhado noutro centro de atendimento e a tutora contou que ele tinha diarreias crónicas, tem andado a emagrecer muito e deixou de cuidar do seu pelo.

Há cerca de 5 anos tinha tido 3 crises urinárias obstrutivas e desenvolveu cristaluria de estruvite. Na última ecografia os rins já começavam a apresentar ligeiras alterações, mas após a toma de um suplemento vitamínico apropriado para o rim, os valores da função renal normalizaram.

Há cerca de 1 mês e meio atrás caiu da varanda e fraturou a extremidade distal de ambos os membros anteriores. Não reagiu bem à colocação de talas e a cirurgia não era uma opção muito viável atendendo ao seu estado de fraqueza. Nessa altura começou a comer comida de lata e deixou de fazer diarreias, mas agora já não tolerava comer a comida húmida. Sempre foi um gato que gostou mais de comida seca. No entanto, estava a comer muito pouco, não se queria mexer e sempre que comia ração fazia diarreia, que por vezes era tão líquida que até se confundia com urina. O tutor insistia com ele, oferecendo paté (que ele recusava comer), ração de vários tipos (que ele comia 2 ou 3 grãos e deixava ficar o resto).

Para verificar a causa da diarreia, o Kiko fez um ecografia abdominal e verificaram que ele apresentava um ligeiro espessamento da parede. Esta imagem é compatível com um quadro de IBD (doença inflamatória do intestino), onde ocorre uma acumulação de células inflamatórias na parede intestinal. Um dos tratamentos aconselhados é a toma de cortisona e por este motivo o Kiko tinha iniciado essa medicação há cerca de 5 dias. Contudo, continuava sem apresentar melhorias e quando veio à primeira sessão de acupuntura, a tutora referiu que ele tinha começado a apresentar 1 vómito diário nos últimos 3 dias.

Para além disso está a tomar medicação para o controlo da dor e estimulantes de apetite.

Na consulta, o animal apresentava-se magro e com pouca energia no geral, por isso a prioridade era que ele se começasse a alimentar e que as diarreias passassem.

Na Medicina Tradicional Chinesa podemos explicar isto como um esgotamento de Qi de B devido a todos aos quadros de doenças pelos quais ele tinha passado.

Por este motivo, na sua primeira sessão efetuou-se um tratamento para tonificar a função de Baço e controlar a dor nos seus membros. Para tal, usamos os seguintes pontos com agulha seca:

2B – Beneficia as funções de Baço de transformação e transporte de alimentos, promove a digestão, é um ponto indicado em náuseas, dor de estômago, diarreias e dor abdominal.

36E – É o ponto maestro ou ponto de influência sobre o abdómen e todo o aparelho digestivo. Fortalece o corpo, o Baço e o Estômago, harmoniza o estômago, restaura o equilíbrio da energia, regula os intestinos e tonifica o Qi (energia do corpo). Tem ações terapêuticas sobre o aparelho digestivo e dor. Ajuda a controlar a náusea, vómitos, dor no estômago e úlceras gástricas. Ajuda a dar energia ao corpo pois tonifica o Qi em geral. Está indicado em casos de diarreia.

10IG – é o ponto análogo do 36E. É indicado para casos de debilidade e deficiências de Qi pois tonificar o Qi no geral. Harmoniza o sistema imunitário. Está indicado em gastrites e diarreias.

7P – ajuda a controlar dores no carpo.

60V – Elimina todo o tipo de dores (é o chamado ponto “Aspirina).

Este é o Kiko, um gato muito falador, que fica super relaxado enquanto faz a sua sessão de acupuntura.

Foram ainda dados conselhos sobre a alimentação natural, que seria uma boa opção para ele.

E seis dias depois, quando o Kiko regressou para a sua segunda sessão, fiquei super contente com o que a tutora me contou…

No dia da acupuntura, o Kiko dormiu durante a tarde e logo no dia seguinte de manhã, acordou cedo e começou a pedir comida (algo que ele já não fazia há muito tempo, mas que era o habitual dele). E comeu toda a quantidade que lhe colocaram de uma só vez. Nunca mais vomitou e mesmo continuando com a mesma alimentação as fezes foram solidificando ao longo de 3 dias, até ficarem completamente normais. Começou a lavar ao seu pelo, a ter mais atividade e a saltar, como fazia antes.

Gostou de comer snacks de carne desidratada, mas não gostou da alimentação natural.

Nesses 6 dias, o Kiko engordou 200g e o pelo já começava a ficar com melhor aspeto.

Segundo a tutora, ele estava o mesmo gatinho de sempre, como ele era antes!

Este caso e estes testemunhos, enchem o meu coração e tal como a sua tutora diz, estas experiências têm que ser partilhadas, pois muitos outros animais podem beneficiar da ajuda desta técnica milenar.

Todo o seguimento da medicina convencional continuará a ser feito na clínica que o acompanha e da nossa parte, estaremos aqui para ajudar o Kiko com a acupuntura e outros conhecimentos que ainda não estão tão divulgados.

Gratidão ao Kiko e à sua tutora por estes momentos…