Tlm. 931 612 825 | Tel. 253 962 739

Bem-vindo à Clínica Veterinária Animal Especial.

Criptorquidismo

Muitos tutores já se depararam com os seus cães ou gatos machos, não castrados, com apenas um testículo no escroto ou até mesmo sem nenhum.

Introdução

O criptorquidismo caracteriza-se pela ausência da migração de um ou de ambos os testículos da cavidade abdominal para o saco escrotal.

Este(s) pode(m) permanecer no abdómen, na região do anel inguinal ou no tecido subcutâneo da região pré escrotal.

No cães, os dois testículos devem estar posicionados no escroto até, no máximo, aos 6 meses de idade. Já nos gatos, a migração testicular ocorre após 5 dias do seu nascimento. A partir desse período, já se considera esta condição uma doença.

Existem também animais anorquídicos, ou seja, que não possuem testículos, mas essa condição é muito mais rara.

O criptorquidismo é uma doença congénita e pensa-se que tenha uma base genética.

A prevalência da doença é baixa (cerca de 15% em cães e 1.5% em gatos), mas por ter consequências graves, deve ser detetado o mais rapidamente possível.

Existem raças mais predispostas a esta patologia tais como:

  • caniche
  • yorkshire terrier
  • Boxer
  • husky siberiano,…

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pelo médico veterinário através de um exame físico durante a consulta e se necessário, complementar com uma ecografia.

Neste caso, as primeiras consultas com o seu animal de estimação são muito importantes pois o médico veterinário vai fazendo o acompanhamento do seu patudo e quanto mais precocemente for detetado o problema, mais rapidamente será solucionado.

Consequências e Tratamento

Um macho criptorquida mantém o seu comportamento sexual natural (marcação de território e cópula) no entanto a sua fertilidade poderá estar comprometida, podendo mesmo ser infértil.

Pensando poder tratar-se de uma doença hereditária, os machos criptorquídeos não devem ser usados para criação.

Sabe-se que os testículos que ficam retidos em outro lugar que não no escroto estão submetidos a temperaturas mais altas e por isso adquirem um tamanho diferente (normalmente mais atrofiado) e consequentemente têm uma probabilidade 10 vezes superior de degenerar em tumor.

Também a incidência de torção testicular e outras patologias reprodutivas é maior.

Existem medicamentos que podem ajudar no processo de migração dos testículos quando os animais ainda são jovens, porem existem casos em que essa terapia não apresenta resultados satisfatórios.

Posto isto, o tratamento de eleição para o criptorquismo consiste na remoção cirúrgica dos testículos, ao qual apelidamos orquiectomia.

A orquiectomia é uma técnica relativamente simples e de rotina e que pode fazer toda a diferença no bem estar e saúde do seu companheiro de 4 patas.

Se desconfia que o seu animal de estimação possa ter criptorquidismo, não hesite em contactar-nos. Estaremos ao seu dispor para esclarecer qualquer dúvida.

Deixe um comentário