Tlm. 931 612 825 | Tel. 253 962 739

Bem-vindo à Clínica Veterinária Animal Especial.

Vamos falar sobre Hérnias?

Afinal o que são hérnias?

As hérnias são alterações patológicas que movem órgãos de sua localização anatômica para uma outra cavidade recém-formada. Uma hérnia é ocasionada pela saída de um conteúdo interno, como gordura, parte do intestino ou até mesmo algum órgão como o fígado ou o baço, para fora da cavidade em que deveria estar normalmente. Patologias assim são relativamente comuns em animais domésticos e classificam-se quanto às suas localizações em inguinais, diafragmáticas, escrotais, umbilicais, abdominais, hiatais, incisionais e perineais.

O tratamento é feito através de cirurgias, geralmente apresentando bons resultados.

Hérnia Inguinal
Hérnia Umbilical

São geralmente congênitas, ou seja, são defeitos que ocorrem no momento do nascimento, embora também possam ser causadas por lesões subsequentes, principalmente por trauma súbito, como mordidas ou acidentes, e nesse caso são chamadas de hérnias adquiridas.

Mesmo quando não é necessário fazer uma intervenção cirúrgica, a hérnia sempre deve ser acompanhada. E o primeiro passo é reconhecer os seus sinais, entre eles:

  • Aumento de volume na região em que se encontra localizada,
  • Vermelhidão do local.
  • Em caso de estrangulamento de alguma víscera (como uma alça intestinal), também podem apresentar os seguintes sintomas:
    • Vômitos;
    • Dor abdominal,
    • Falta de apetite.

Ao suspeitar que o seu animal tenha uma hérnia será indicado falar com o seu médico veterinário.

Caso Clínico!

Cadela com 6 anos vem a consulta por estar com vómitos á 2 dias e sem comer, tutora não tinha a certeza se andava ou não a defecar. Ao exame físico foi notado que existia desconforto ao toque na zona inguinal, a qual se encontrava com volume aumentado. Procedeu-se á realização de radiografia e também a análises sanguíneas, nas quais não se verificaram alterações. Foi para casa com medicação e voltou passado dois dias.

Teve melhorias consideráveis no entanto continuava com desconforto á palpação, daí procedeu-se a cirurgia. Durante a cirurgia foi confirmado que esta tinha um hérnia inguinal, sendo que a hérnia encontrava-se a fazer compressão do intestino. Realizou-se então a enterectomia devido ao intestino estar necrosado, e por fim a resolução da hérnia.

Hérnia inguinal

Intestino necrosado

Pós enterectomia

Após a cirurgia foi para casa com medicação, voltou passado dois dias para reavaliar para vermos se estava tudo bem. Já se encontrava mais bem disposta e a comer!